segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Temer prepara mudanças em vitrines social do Partido dos Trabalhadores

Passado o processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff e confirmado o seu afastamento definitivo, o presidente em exercício Michel Temer prepara uma revisão na área social, com mudanças em programas petistas, a retomada da reforma agrária e a implementação de iniciativas de impacto eleitoral. O objetivo do novo governo é desconstruir o discurso de que a gestão peemedebista representaria um retrocesso, além de se aproximar das camadas mais pobres, que formaram a principal base de apoio às gestões Dilma e Lula. A proposta é “repaginar” o Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, Ciência sem Fronteiras, Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego e Transposição do São Francisco. Foto: Divulgação. Rafael Moraes Moura. Jornalista

Trajetória da dívida do Brasil lembra início da Grécia pré-colapso

O drama das contas públicas vivido atualmente pelo Brasil tem algumas semelhanças com a crise grega. O ritmo recente de crescimento da dívida brasileira - que aumentou cerca de um quinto em dois anos - lembra o registrado pela Grécia no início da deterioração que culminou no colapso do país europeu. Apesar de alguma semelhança na trajetória, o endividamento do Brasil segue em patamar bem inferior: menos da metade do grego. Se nada for feito, o Brasil poderá entrar em colapso pelo crescente endividamento público. Se os gastos não forem contidos o Brasil poderá ir pelo mesmo caminho da Grécia - país que foi à lona pelo descontrole das contas públicas. No Brasil, a dívida bruta calculada pelo critério do FMI passou de 60,3% do PIB em 2013 para 73,6% no ano passado. Foto: Divulgação. Ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira em entrevista à Gazeta do Povo